Volta às origens com a lona estonada

Mesmo com o mercado arredio à espera dos resultados da eleição, empresa de PL opera com dois turnos

A Alpargatas lança a versão do tradicional encerado Locomotiva para o mundo da moda

 

A lona de caminhão começa a descer das carrocerias direto para o mundo da moda. Atenta às experiências de aplicar a lona usada em acessórios e roupas que começam a pipocar, a São Paulo Alpargatas, dona da marca de cobertura mais antiga do mercado, a Locomotiva, lançou a versão estonada do produto. O encerado Locomotiva Stone será comercializado em sete cores – marinho new, cáqui, vermelho, preto, verde, verde oliva e marrom tabaco.

“A lona pode trazer várias alternativas para a moda, não necessariamente apenas com a lona usada. Estamos apresentando uma inovação ao mercado. Queremos mostrar que as confecções podem inovar com lona fazendo produtos mais nobres”, explica Cícero Lopes de Barros Júnior, diretor da unidade de negócios têxteis industriais da Alpargatas.

 

Para trabalhar o produto, a equipe desenvolve em parceria com os fabricantes opções de aplicação como bonés, mochilas, bolsas, cintos. “Poderia ter roupa. É só querer”, observa o diretor. Na verdade, a calça jeans nasceu justamente de uma aplicação inovadora, quando o mascate Claude Levi Strauss mandou costurar um modelo usando o tecido rústico empregado para cobrir barracas nos acampamentos dos mineiros e garimpeiros atraídos pela corrida do ouro na costa oeste dos Estados Unidos. Naquela época, o jeans não era azul. Tinha a cor característica da lona de caminhão que conhecemos hoje.

 


 

A lona Locomotiva Stone tem o mesmo peso da tradicional, cerca de 650 gramas por metro quadrado, sendo que para o processo de estonagem a Alpargatas contrata o serviço de beneficiadores de jeans. O produto é vendido por quilo em peças de 2 metros de largura por 1,5 metro de comprimento, armazenadas em embalagens de 20 quilos, que é o pedido mínimo. O quilo da lona estonada custa R$ 36,00.

 

A Alpargatas prepara outra novidade para janeiro. O lançamento da eco-lona, um encerado produzido a partir da mistura de algodão com garrafas de plástico enviadas para reciclagem. “É uma lona mais leve, que permite outras aplicações como bolsas e calçados”, conta Barros Júnior. O produto não será lavado nem tingido. A variação de tonalidade vai depender das características do material reciclado.