Roupas ficam mais baratas em novembro

Recuo pode estar associado às ofertas de Black Friday combinadas com o consumidor ainda arredio para compras de final de ano

O aumento de preços de outubro foi neutralizado pela redução encontrada nos itens de moda vendidos no varejo. Roupas, tecidos, sapatos, joias e bijuterias ficaram 0,43% mais baratas em relação ao mês anterior, afirma o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). O resultado está contemplado na pesquisa que mede o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), indicador da inflação brasileira, que foi divulgado na manhã desta sexta-feira, 07 de novembro.

Com exceção de tecidos, joias e bijuteria que tiveram alta de 0,52% e 1,18%, respectivamente, os demais produtos que compõem a cesta Vestuário analisada pelo IBGE acompanharam o movimento de deflação geral. De acordo com a pesquisa, a inflação brasileira recuou 0,21% em outubro sobre setembro. Refletiu, assim, a queda de preços registrada em cinco das nove categorias monitoradas. “Para um mês de novembro, foi a menor taxa desde a implantação do Plano Real, em 1994”, afirmou o IBGE no relatório que acompanha a divulgação dos resultados.

Os preços das roupas femininas foram os que mais caíram, com redução de 1,28% em novembro em relação ao mês anterior. As roupas masculinas ficaram 0,63% mais baratas nessa passagem de um mês para o outro. O vestuário infantil caiu 0,43%. Já os calçados e acessórios vendidos no varejo tiveram redução de 0,52%. Esse forte recuo pode estar associado às ofertas de Black Friday combinadas com o consumidor ainda arredio para compras de final de ano.

CUSTO DA MODA NAS CAPITAIS

O desempenho dos preços de moda nas 16 capitais que são destaque da pesquisa que mede o IPCA ficou dividido ao meio. Em metade delas, roupas, calçados, tecidos, joias e bijuterias ficaram mais caros em novembro. Como em outubro, a inflação de moda em Aracaju e Fortaleza se agravou, com aumento de 0,47% nas duas cidades, o mais alto registrado na categoria, mostra o levantamento do IBGE. A inflação do Distrito Federal seguiu no mesmo ritmo, com alta de 0,45%.

Na outra metade das capitais, os preços caíram na passagem de outubro para novembro. Em três delas, a queda passou de 1%. Foi o caso de Salvador (-1,33%); Curitiba (-1,30%); e Vitória (-1,12%). Principal mercado do país, a cidade de São Paulo registrou redução de preços de 0,47%.

ACUMULADO DO ANO

Até novembro, a inflação geral acumulou alta de 3,59% sobre igual período de 2017, informa o IBGE. Mais uma vez, entretanto, a categoria Vestuário registra variação negativa no acumulado do ano. Em nove meses, os preços dos itens de moda caíram 0,53%. O índice foi de novo influenciado por roupas que concentraram queda de 0,97% de janeiro a novembro. No mesmo período, as roupas masculinas despencaram 1,07%; as femininas recuaram 1,04%; e as infantis diminuíram 0,57%.