Lemier investe em publicidade

Entre as ações mais recentes está a propaganda em jogos de futebol

 

  Com cerca de 3,5 milhões de peças produzidas por ano, a Lemier Jeans aumenta as vendas com a ajuda de ações publicitárias envolvendo celebridades nacionais, quase sempre atores de novelas globais. Recentemente, a empresa diversificou a estratégia, e incluiu propagandas nas laterais dos campos de estádios onde são disputados jogos da série B do Campeonato Brasileiro de futebol.

 

 

Os catálogos das coleções mais recentes da empresa, por exemplo, contaram com Bruno Gagliasso, Vladimir Brichta, Grazielli Massafera, Carol Castro e Paola Oliveira como estrelas da marca. Em outra iniciativa, na semana passada, a Lemier convidou a ex-BBB Fani Pacheco para visitar uma das quatro lojas que tem no bairro paulistano do Brás, o maior pólo de produção de jeans do Brasil. “Procuramos sempre nos atualizar, além de encontrar novos nichos de mercado e fazer novos produtos”, conta Jamal Ayache, proprietário da Lemier, e que está à frente da empresa há 25 anos.  

Criada em 1973, a Lemier começou como malharia retilínea e, hoje, tem como carro-chefe o jeans, que entrou para a marca 20 anos atrás. “Com as mudanças do mercado, foi necessário trazer o jeans para a empresa e deixamos de trabalhar com a malharia. Atualmente, 85% de nossa produção é em jeans”, explica Ayache. As malhas voltaram à marca há dois anos, porém, agora, a produção, que chega a 50 mil peças por mês, é feita em malharia circular.

 

 

“Nos últimos anos, houve diversas inovações em relação à cultura do bairro do Brás e das pessoas que investem nele. A visão, agora, é mais jovem, e tanto o perfil das roupas como o modo de ver a moda ficaram diferentes. Nós continuamos acompanhando as mudanças”, conclui Ayache. No início deste ano, após dez anos, a marca atacadista deixou de exportar seus produtos devido às variações da moeda e ao custo alto da mercadoria. A Lemier fazia exportações para a Europa, a África e a América Latina.

 

A empresa, que segue a linha jovem, tem produção que alcança 300 mil peças em jeans por mês. A parte de desenvolvimento e corte das peças é feita internamente, enquanto os serviços de costura e beneficiamento são terceirizados. Na área de lavanderia, Dinâmica e  Lave Love estão entre os praceiros de negócios.

 

 

A coleção de inverno da marca conta com efeitos de corrosão, jateado, lixado e resinado. Cada calça jeans custa de R$ 20,00 a R$ 60,00, dependendo do modelo. Em termos de faturamento, as peças em índigo e brim representam 85% das vendas. Os 15% restantes correspondem aos produtos de malha.

 

fotos: GBLjeans / divulgação