Guilhermitt investe em técnicas para resinados

Para aumentar a demanda, a lavanderia cria mostruário que começa a distribuir para confecções da região de São José do Rio Preto

 

A Lavanderia Guilhermitt, de São José do Rio Preto, interior de São Paulo, tem como plano para o próximo ano investir ainda mais nos acabamentos resinados, que prometem atrair grande atenção em 2007. Atualmente, os principais serviços contratados são os puídos, os esponjados e o tingimento. Segundo Edna Guilhermitt, o diferencial da lavanderia é a técnica empregada nos resinados. Depois da aplicação da resina, as peças são lixadas, criando marcas diferentes no tecido.

 

Devido à pouca demanda deste ano, não houve novos investimentos na lavanderia ao longo de 2006. Entretanto, a Guilhermitt pretende aumentar o volume de produção no próximo ano. Entre as iniciativas, consta a criação de um mostruário com as diferentes opções de serviços, que começa a ser distribuído entre as principais confecções da região.

 

Com medidas como essa, Edna avalia que em 2007 será possível voltar a contratar. Este ano, a lavanderia reduziu o quadro para os atuais 12 funcionários em função da queda da demanda. No ano que vem, a empresária pretende voltar ao número anterior de 22 funcionários.

 

Criada em 1970, ao completar 30 anos, a empresa diversificou as atividades criando em 2000 a confecção Kank, que direciona as atenções para diferentes modelagens e aviamentos além das lavagens, lançando modelos toda semana. A produção é terceirizada, ficando a Guilhermitt responsável somente pela parte dos acabamentos. Atualmente, a marca é comercializada em duas lojas próprias em São José do Rio Preto – uma no Praça Shopping e outra no centro atacadista Clube da Moda. “Eu criei a confecção para poder realizar os tratamentos diferenciados que a lavanderia está preparada para fazer”, explica Edna.