CZ Jeans muda modelo de negócio

Para fugir da crise da indústria têxtil nacional, a empresa investiu na terceirização supervisionada para reduzir custos

Desde dezembro, o investimento em maquinário e em mão-de-obra deixou de ser prioridade para a catarinense CZ Jeans. Como alternativa para fugir das bruscas quedas da indústria têxtil nacional, a empresa buscou reduzir custos alterando o modelo de negócios. Especializada na prestção de serviços de PL (Private Label), deixou de produzir tudo internamente, optando por terceirizar as encomendas, e concentrando a atuação como gestora do processo. Para isso, contratou técnicos que supervisionam o trabalho das facções com as quais trabalha.

Com a mudança, a empresa reduziu a área industrial e a equipe de funcionários.
Segundo Marcos Zanon, proprietário da CZ Jeans, a empresa produz os protótipos das peças em jeans, a partir dos croquis entregues pelas marcas e, assim, encaminha para outras fábricas realizarem os serviços de produção. O executivo estima que o volume total administrado pela empresa atinja cerca de 20 mil a 25 mil peças mensalmente, divididas entre fábricas de Santa Catarina. Para o beneficiamento do jeans, Zanon afirma que toda a produção é destinada à lavanderia Fama, com a qual mantém parceria antiga.

“Em cada uma das fábricas tem um técnico nosso instalado, supervisionando o trabalho que está sendo feito”, garante o empresário
. Segundo ele, foi uma medida de emergência devido à situação da indústria têxtil nacional, que vem apresentando resultados ruins (veja mais). “Estou aguardando a medida que o governo vai tomar em relação à entrada dos produtos importados”, conta o executivo.

foto: GBLjeans