Vendas no varejo de moda caem em março

A perda no mês afetou o acumulado do primeiro trimestre, que ainda está positivo por causa dos bons resultados de fevereiro.

As vendas do varejo de moda brasileiro caíram 2,5% em março em relação a fevereiro, o mês mais forte do trimestre. A receita nominal do comércio de vestuário e calçados seguiu essa variação, recuando 1,8% em março sobre o mês anterior. A queda em março afetou o acumulado do primeiro trimestre, que ainda está positivo por causa dos bons resultados de fevereiro. De janeiro a março, o volume de vendas de moda avançou 0,5% sobre igual trimestre de 2018. Mas, a receita nominal das lojas da atividade ficaram estáveis nessa mesma comparação.

Os dados são da PMC (Pesquisa Mensal de Comércio), elaborada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Sobre março do ano passado, mostra o estudo, a redução dos negócios foi acentuada. Caiu 5,7% em volume de vendas e 5% em receita.

NO COMÉRCIO EM GERAL VENDAS AUMENTAM

O volume de vendas no varejo como um todo subiu 0,3% em março, na comparação com o mês anterior, após a estabilidade em fevereiro. Com isso, o primeiro trimestre fechou com alta de 0,3%, frente ao mesmo período do ano passado, diz o IBGE. Em termos de receita nominal, o aumento mensal foi de 0,8% em março, acumulando variação positiva de 0,8% no trimestre.

Segundo o IBGE, a alta do varejo em março foi sustentada pelos setores de artigos farmacêuticos e cosméticos (1,4%) e de uso pessoal (0,7%). Embora tenha menor peso na cesta do varejo, as vendas de materiais para escritório, informática e comunicação aumentaram 2,9%. No entanto, cinco das oito atividades monitoradas tiveram queda nas vendas, destaca a pesquisa.

Em comunicado ao mercado, a gerente da pesquisa do IBGE, Isabella Nunes, explica que o feriado de Carnaval influenciou o comportamento do varejo na comparação de um ano para o outro. Março de 2018 teve dois dias úteis a mais, ressalta a executiva

DESEMPENHO EM 12 ESTADOS

Com a predominância de resultados negativos em março entre os 12 estados que são destaque na pesquisa do IBGE, o trimestre de moda não foi uniforme. Cinco mercados sofreram perda. O varejo de Minas Gerais foi o que mais encolheu em relação às vendas de janeiro a março de 2018. Recuou 8,6% em volume de vendas e ficou com receita 7,8% menor que no primeiro trimestre do ano passado. Só em março, o volume de vendas das lojas mineiras caiu 17% e a receita diminuiu 16,4%.

Já Goiás manteve o ritmo acelerado das vendas de moda mesmo em março. Assim, no primeiro trimestre o varejo do estado cresceu 28,6% em volume e 28,1% em receita.

Para efeito de comparação, o comércio do Rio Grande do Sul registrou a segunda melhor taxa de expansão no trimestre de moda. Aumentou 9,2% em volume de vendas e 8,3% em receita.