Produção industrial acumula queda

Como já ocorrera em novembro de 2013, também em 2014 os setores têxtil e de vestuário reduzem ritmo das atividades.

Em novembro de 2014, os setores têxtil e de vestuário voltaram a reduzir o ritmo de atividade industrial, assim como fizeram em outubro. A queda sobre o mês anterior aprofundou o freio. Nas confecções, o recuo foi de 1,80% e no têxtil, de 1,60%. Seguiram assim o comportamento da média da indústria brasileira que reduziu a produção em 0,70% no mês, revela a pesquisa mensal sobre produção física, realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas) e cujos resultados foram divulgados nesta quinta-feira, 8 de janeiro.

O quadro não é muito diferente do observado em novembro de 2013, quando o corte da produção em relação ao ano anterior foi grande. A redução do nível industrial em novembro de 2014 em confronto com o mesmo mês de 2013 atingiu 2,2% entre as confecções de vestuário brasileiras, bem menor que a queda de 10,5% registrada em novembro de 2013. A maior desaceleração foi registrada pelo setor de produtos têxteis. A queda apontada pelo IBGE é de 7% em novembro de 2014, contra redução de 1% em novembro de 2013.

Levando em consideração o mesmo período de comparação, o total da indústria no Brasil apontou para redução de 5,8%. “Nona taxa negativa consecutiva nesse tipo de comparação e a mais intensa desde junho último (-6,95)”, ressalta o relatório da pesquisa do IBGE.