Preço dos produtos de moda caem no atacado

Em janeiro, o custo tanto de roupas quanto de artigos têxteis recua em mês no qual o índice ao produtor geral continua a avançar no país.

Para fazer girar os estoques, as confecções de vestuário têm segurando o repasse para o preço ao atacado. Pelo terceiro mês consecutivo, a atividade apresentou queda de preço em relação ao mês anterior. Em janeiro, o custo caiu 1,25% sobre dezembro, mês que já experimentara decréscimo em relação a novembro. Já a queda de 0,37% nos preços de atacado na indústria de produtos têxteis interrompe uma sequência de cinco meses em alta. As duas atividades apresentam comportamento oposto da média da indústria em geral, que registrou em janeiro aumento de 0,35% sobre dezembro.

As informações constam do relatório da pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) que calcula o IPP (Índice de Preços ao Produtor) mensal. No caso de roupas, os itens que ajudaram a reduzir os aumentos foram as camisas, para homens e mulheres, e as calças masculinas, de acordo com o IBGE. Quanto à indústria têxtil, a principal contribuição foi a contenção nos preços de tecidos de algodão.

SOBRE JANEIRO DE 2016
Apenas as confecções de vestuário contiveram os preços em janeiro, na comparação com igual mês de 2016. Segundo a pesquisa do IBGE, a redução foi de 1,60%, a primeira nos últimos 12 meses. A indústria têxtil continua a recalcular para cima e a alta no segmento foi de 3,49%, porém, a menor dos últimos 12 meses, ainda que esteja bem acima da variação positiva do IPP geral de 1,29% sobre janeiro de 2016, mostram os dados da pesquisa.