Moda puxa vendas do varejo brasileiro

Lojas do segmento foram as que tiveram maior crescimento em volume e receita em fevereiro, mostra pesquisa mensal do IBGE

Em fevereiro, o varejo de moda foi a atividade que mais cresceu no comércio como um todo em relação a janeiro. O volume de vendas entre as lojas de vestuário, tecidos e calçados avançou 4,4% e a receita nominal subiu 4,2%, aponta a Pesquisa Mensal de Comércio (PMC), realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Com esse desempenho, o segmento puxou os resultados do comércio varejista em geral do Brasil, que de outra forma ficariam negativos. O varejo brasileiro encerrou fevereiro em estabilidade com janeiro em volume de vendas, enquanto a receita nominal aumentou 0,3%.

Também na comparação com fevereiro de 2018 o varejo de moda cresceu mais que as outras atividades monitoradas pela pesquisa. Em volume de vendas o aumento foi de 10,7% e a receita avançou 11,5%. No grupo de destaque da pesquisa composto por 12 estados, todos apresentaram crescimento, tanto em volume quanto em receita nominal, no confronto com os resultados de igual mês do ano passado. De acordo com o IBGE, essa taxa elevada reflete em parte o efeito calendário e as promoções.

O comércio varejista como um todo cresceu 3,9% em volume e 7,5% em receita no Brasil. “Vale citar a influência positiva vinda do deslocamento do Carnaval, pois fevereiro de 2019 (20 dias) teve dois dias úteis a mais do que fevereiro de 2018 (18 dias)”, observa o relatório que acompanha a pesquisa do IBGE.

Em quase todos os 12 estados, o desempenho do varejo de moda foi superior ao do comércio em geral. Goiás vem mantendo as vendas aquecidas desde agosto do ano passado. Na comparação com fevereiro de 2018, as lojas do estado aumentaram 38,4% em volume de vendas e 37,1% em receita nominal. O comércio em geral de Goiás cresceu 7,8% em volume e 11,8% em receita, no mesmo confronto.

A segunda maior taxa foi registrada novamente pelo Espírito Santo: 19,7%, em volume, e 19,8%, em receita. Também o comércio geral capixaba teve um bom desempenho com aumento de 12,6% em volume e 13,3% em receita.

Destaque para a reação do varejo paulista de moda que avançou 13,9% em volume e 15% em receita. O comércio geral em São Paulo subiu 4,9% em volume e 9% em receita.

Mesmo no Paraná, onde o comércio em geral foi o único do grupo de 12 estados em destaque a apresentar variação negativa na comparação com fevereiro de 2018 (-1,8% em volume e -0,4% em receita), o varejo de moda melhorou. Expandiu 0,8% o volume de vendas e 1,2% a receita nominal.