Inflação de moda tem alta de 0,45%

Roupas foram os itens que mais pressionaram a elevação dos preços no varejo do segmento em março, mostra a pesquisa que mede o IPCA

A entrada no varejo das novas coleções voltadas para o outono pressionou os preços da atividade em março. Assim, a inflação de moda subiu 0,45% no mês, depois da
queda registrada em janeiro e fevereiro. Foi a terceira maior taxa a influenciar o aumento da inflação oficial brasileira de março que saltou 0,75%, sendo a quarta alta
consecutiva, mostra a pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) que mede o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo). Além de moda,
o índice geral reflete os reajustes dos segmentos de Alimentação e Bebidas (1,37%) e Transportes (1,44%) que, juntos, respondem por 43% das despesas das famílias brasileiras.

Todos os itens que compõem a cesta de moda encareceram na passagem para março. O aumento de roupas foi de 0,48%; o de calçados e acessórios, 0,38%; o de joias e bijuterias, 0,54%; tecidos e armarinho, 0,28%. As roupas masculinas ficaram 0,68% mais caras, enquanto as femininas aumentaram 0,34% e as infantis subiram 0,41%,
mostra a pesquisa do IBGE.

No mês, das 16 capitais monitoradas pelo levantamento, seis apresentaram preços em queda: Recife (-0,59%), Belém (-0,59%), Vitória (-0,41%), São Luís (-0,35%), Campo Grande (-0,22%) e Rio de Janeiro (-0,03%). As outras dez cidades tiveram movimento de alta na moda, com a maior inflação sendo registrada em Porto Alegre, cuja taxa ultrapassou o 1%, assinalando aumento de 1,15%. Fortaleza e Rio Branco aparecem em seguida com reajuste de 0,87%.

ACUMULADO DO ANO

No acumulado do primeiro trimestre, o forte aumento de março não foi suficiente para estancar a deflação de moda, de modo que o segmento encerrou o período com preços em queda de 1,03%. A maior influência foi o recuo no custo das roupas no varejo, que acumulou recuo de 1,26% de janeiro a março, em relação ao mesmo trimestre de 2018.

Calçados e acessórios acumularam queda de 0,81%, e a redução em tecidos e armarinhos foi de 0,23 na mesma comparação. Joias e bijuterias foram os únicos produtos da cesta de moda a acumular alta de janeiro a março, com taxa de 0,10%.

PREÇO DAS ROUPAS NO PRIMEIRO TRIMESTRE

Roupas Masculinas : -0,33%

Roupas Femininas : -2,22%

Roupas Infantis : -0,82%