Importação têxtil volta a aumentar

Em queda desde janeiro, o valor das compras registrou alta em junho em relação ao mês anterior, piorando o déficit da balança setorial.

Piorou o saldo da balança comercial do setor têxtil em junho. Em queda desde janeiro, a importação registrou alta em junho em relação ao mês anterior, ao passo que a exportação que vinha aumentando caiu no período. As compras somaram US$ 432 milhões e as vendas, US$ 118,87 milhões, deixando saldo negativo de US$ 313,12 milhões. Pelos dados divulgados na pesquisa do ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior não é possível verificar se essa piora de cenário se deve a um aumento no volume físico importado ou se reflete a valorização do dólar sobre o real.

Em relação a maio, as importações aumentaram 8,83%. Como o segmento que mais importa, vestuário apresentou alta de compras de 21,53%, para alcançar US$ 158,87 milhões. De modo geral, dos 14 produtos monitorados pela pesquisa, apenas em três a importação caiu na passagem de um mês para o outro: algodão (-8,29%), filamentos sintéticos ou artificiais (-6%) e tapetes e outros revestimentos,de matérias têxteis (-8,42%).

Sobre maio, as vendas totais caíram 7,56%, mesmo com oito dos 14 produtos monitorados apresentando aumento de receita. O recuo foi pressionado sobretudo pelo recuo nas exportações de fibras sintéticas ou artificiais que caíram de US$ 14,66 milhões para US$ 5,20 milhões. Algodão continua sendo o principal produto de exportação, sustentando US$ 41,07 milhões.