Importação perde a força

Mantendo o comportamento anotado em 2015, as compras diminuem em outubro e novembro e a exportação varia um pouco.

Desde agosto as importações brasileiras têm declinado, quando envolvem produtos têxteis e roupas analisados como um todo. A queda em outubro foi de 5%, caindo para US$ 364,88 milhões, quando comparada ao volume movimentado em setembro, que já caíra quase 10%. Em novembro, o recuo das compras foi de 6,63%, totalizando US$ 340,67 milhões no mês, conforme dados divulgados pelo ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. Se mantiver o comportamento de 2015, o valor importado segue em declínio de agosto até fevereiro do ano seguinte, quando a curva começaria a subir novamente.

A pesquisa do ministério também revela que as exportações do setor, que atingiram o máximo do ano em setembro, aumentaram 2,12% em outubro para alcançar US$ 254,35 milhões. No entanto, declinaram 11,86% em novembro, para chegar a US$ 224,19 milhões. Com essa oscilação, o déficit no setor correspondeu a US$ 110,52 milhões em outubro, o mais baixo registrado em 2016. Mas, tornou a se agravar em novembro deixando a balança comercial brasileira setorial com saldo negativo de US$ 116,47 milhões.

COMPORTAMENTO DAS ROUPAS
A importação de roupas minguou em 2016. No segundo semestre, a despeito do salto registrado em setembro, as compras voltaram para o patamar que tem pouco variado desde abril. Corresponderam a U$ 87,81 milhões, em outubro (7,95% abaixo do mês anterior) e US$ 88,87 milhões, em novembro (aumento de 1,20%). Como no ano passado, as exportações de roupas ganharam força em outubro e novembro, alcançando US$ 11,36 milhões e US$ 12,22 milhões, respectivamente.