Importação de vestuário afeta balança

Brasil encerra 2014 com déficit na área têxtil e de vestuário de US$ 4,6 bilhões, aumento de pouco mais de 4% sobre o ano anterior.

De janeiro a dezembro de 2014, as empresas do Brasil importaram US$ 7,14 bilhões (preço FOB) em roupas e acessórios, volume que representou aumento de 5,1% sobre as compras de bens estrangeiros realizadas em 2013, informa o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, ao anunciar os dados consolidados da balança comercial. A exportação foi a US$ 2,53 bilhões no período. Mesmo tendo subido 7,11% sobre o ano anterior, as vendas ao mercado internacional não foram nem de longe suficientes para equilibrar as contas e o setor termina 2014 com déficit de US$ 4,61 bilhões.

Com volume total exportado de US$ 225,10 bilhões em 2014 e importações de US$ 229,06 bilhões, o país registrou déficit de US$ 3,95 bilhões, mostram os dados do ministério. No setor têxtil e de confecção, as vendas ao exterior de algodão sustentaram praticamente 60% do volume obtido. Depois de roupas, os fios sintéticos e artificiais foram os que mais aumentaram a importação em 2014, atingindo US$ 1,61 bilhão em compras, ante US$ 1,55 bilhão, em 2013. Somadas, as compras desses dois segmentos equivalem a 85% do déficit setorial.