Importação acelera em julho

Itens de vestuário de modo geral foram os que mais pressionaram o déficit do setor, com aumento de 54% sobre junho.

De janeiro a julho, o Brasil importou US$ 4,14 bilhões em produtos têxteis (de fio e fibras a vestuário, passando por tecidos, tapetes e revestimentos). No mesmo período, exportou US$ 1 bilhão na mesma categoria de produtos, sendo que 40% desse valor corresponde a vendas de algodão, indicam os dados consolidados publicado pelo Mdic (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior). Com esse descompasso, o déficit setorial subiu no período para US$ 3,13 bilhões, com julho contribuindo com pouco mais de meio bilhão em saldo negativo.

Do volume total importado nos primeiros sete meses do ano, as compras de itens de vestuário foram as que mais pesaram, representando 36,2%, com participação de US$ 1,49 bilhão. Apenas de junho para julho, as importações de vestuário subiram 54,4%, passando de US$ 134,9 milhões para US$ 208,4 milhões. Outra categoria que tem grande participação nas importações é a de filamentos sintéticos ou artificiais, respondendo por US$ 920 milhões de janeiro a julho.