Déficit do setor cai para menos de US$ 100 milhões

Em outubro, o saldo da balança comercial de vestuário e produtos têxteis ficou negativo em US$ 72,4 milhões.

Pela primeira vez em muito tempo, o déficit do setor têxtil e de vestuário caiu para menos de US$ 100 milhões. Em outubro, o saldo ficou negativo em US$ 72,41 milhões. Para ter idéia da queda, o ano começou com déficit de US$ 492 milhões. Mais uma vez, o recuo do déficit foi influenciado pelo aumento de 36,5% das exportações, em relação ao mês anterior, puxadas sobretudo pelas vendas de algodão, embora praticamente todos os itens da balança tenham crescido. Apenas quatro itens registraram pequena queda nos embarques.

O Brasil exportou US$ 341,34 milhões em outubro, dos quais US$ 267,14 milhões obtidos com algodão. Até as vendas externas de roupas aumentaram, com expansão de 16% sobre setembro, somando US$ 11,3 milhões, mostram os dados apurados pelo Mdic (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior). Mas, os resultados das exportações ficaram abaixo do obtido em outubro de 2014, quando o país embarcou US$ 366,64 milhões.

As importações caíram 13,51% na passagem de setembro para outubro, ajudando a derrubar o déficit do setor, em especial pela contenção na aquisição de filamentos e fibras, a reboque da desaceleração da atividade industrial do setor. As compras no mês totalizaram US$ 413,67 milhões, dos quais 43% correspondem à internação de peças de vestuário. Respondendo por US$ 178,34 milhões do total importado no mês, as compras de roupas caíram 10,15% sobre setembro. Em relação a outubro de 2014, o volume das importações brasileiras diminuiu 38,5%, mostram os dados do Mdic. O índice de queda nas compras de roupas foi um pouco maior, caindo em torno de 41%.