Continua o vaivém da produção industrial

Comportamento dos setores têxteis e de vestuário se repete, alternando um mês bom, outro ruim, com queda em outubro.

Como aconteceu nos últimos dois anos, o início do quarto trimestre não foi bom para as indústrias de produtos têxteis e de vestuário, que registraram queda de produção em outubro, na comparação com setembro. Repetiram o desempenho de praticamente todo o setor industrial brasileiro que caiu 1,1% na passagem de um mês para o outro, refletindo o recuo sofrido por 20 dos 24 ramos industriais monitorados para a Pesquisa Industrial Mensal – Produção Física, realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) e divulgada na manhã dessa sexta-feira, 2 de dezembro.

A produção no ramo de fabricação de produtos têxteis caiu 1,2%, após a estabilidade exibida em setembro, mostram os dados da pesquisa. A queda na área de confecção de roupas foi mais contida, com declínio de 0,8% sobre setembro, mês em que aumentou a atividade em 3%.

SOBRE OUTUBRO DE 2015
A recuperação ainda passa longe da indústria de modo geral, no Brasil. A redução de atividade no setor foi de 7,3%, quando comparada a outubro de 2015, segundo o IBGE. O enfraquecimento das confecções de vestuário foi alto (-6,2%), ainda que menor que a média brasileira para a indústria. Já os fabricantes de produtos têxteis apresentaram alta de 0,7%, ficando entre os quatro ramos que tiveram variação positiva nesse período, junto com impressão e reprodução de gravações (17,1%), celulose e papel (4,6%) e produtos de madeira (1,8%).