Comércio de moda contrata em outubro

Mas dados do Caged mostram que a indústria do setor continua arredia, fechando mais vagas de emprego que abrindo

Com a proximidade do final de ano, o comércio de moda dá sinais de aquecimento. Tanto o atacado quanto o varejo reforçaram o quadro com a contratação dos temporários em outubro. Foram criadas 5.336 vagas com carteira assinada nas lojas de roupas e calçados do país, revelam os dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados). É o segundo mês consecutivo de saldo positivo no segmento, contudo, longe de reverter as cerca de 40 mil vagas fechadas desde janeiro.

Em outubro, apenas o varejo do Amapá diminuiu, e pouco, menos dez empregos. Nos demais estados, o movimento foi de alta. São Paulo foi o mercado onde as lojas mais contrataram, respondendo por 1.433 dos novos empregos formais gerados pela atividade no mês. Rio de Janeiro aparece em segundo lugar com mais 457 vagas preenchidas e Santa Catarina com a oferta de 453 postos adicionais de trabalho, informa o levantamento oficial do ministério do Trabalho.

O comércio atacadista de vestuário e calçados contratou mais que demitiu em outubro, repondo as vagas fechadas em setembro e deixando positivo o saldo acumulado de nove meses. O atacado fechou outubro com 234 empregos a mais que no mês anterior. Do total, 17 estados criaram vagas, com destaque para São Paulo (+74), Rio de Janeiro (+41) e Rio Grande do Sul (+29). Os outros dez tenderam à estabilidade, com alguns poucos recuos, como Mato Grosso do Sul (-7) e Minas Gerais (-5).

INDÚSTRIA CONTINUA A DEMITIR

Os fabricantes de artigos têxteis e confecções de roupas cortaram empregos com carteira assinada pelo sétimo mês consecutivo. Em outubro, o corte resultou em 256 vagas eliminadas. Entre os estados em que as empresas mais demitiram estão Santa Catarina (-221), Paraná (-191) e Bahia (-144). Já entre os que aumentaram o nível de emprego, São Paulo foi o estado no qual a indústria têxtil e de vestuário mais abriu vagas em outubro, oferecendo 160 postos a mais do que no mês anterior. Pernambuco volta a ser destaque com 148 vagas adicionais preenchidas, enquanto a Paraíba aparece em terceiro lugar com 131 empregos criados, mostram os dados do Caged.

EMPREGO NO PAÍS

Apesar do aquecimento do comércio, por conta do movimento de final de ano, as empresas do país criaram 57.733 empregos formais, com carteira assinada, em outubro, de acordo com dados do Caged. Representa quase 25% a menos da oferta gerada em setembro. O indicador determina a diferença entre o volume de contratações e demissões no mês.