Cai o IPCA do vestuário em 2014

No acumulado do ano o segmento fica em oitavo lugar entre os nove segmentos pesquisados e em terceiro no mês de dezembro.

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgou neste mês o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) do mês de dezembro e do acumulado de 2014. O mês apresentou variação de 0,78% e ficou acima da taxa de 0,51% registrada em novembro. É a segunda maior taxa mensal do IPCA no ano, superada pela taxa de março, quando atingiu 0,92%. No acumulado, 2014 fechou em 6,41%, acima dos 5,91% do ano anterior. O segmento de vestuário teve alta de 0,85% no mês de dezembro, pressionado tanto pelas roupas masculinas quanto femininas, ambas com 1,21%. No acumulado de 2014, no entanto, o IPCA do setor alcançou 3,63%, mais baixo que no ano anterior que apresentou 5,38%. No ano o setor fica em oitavo lugar entre os nove segmentos pesquisados e em terceiro no mês de dezembro.

O setor de transportes foi o que teve maior aceleração no mês de dezembro com 1,83% pressionado pelas passagens aéreas, etanol (1,31%), automóvel novo (0,69%), ônibus intermunicipal (0,64%) e gasolina (0,61%).  Além dos transportes, as maiores altas ficam com Saúde e Cuidados Pessoais (0,47%) e Artigos de Residência (0,00%).

Dentre os índices regionais o maior ficou com a região metropolitana do Rio de Janeiro (1,39%), pressionado pelo item energia elétrica, cujas contas subiram 3,46% em função do reajuste de 17,75% em uma das concessionárias desde o dia 7 de novembro. O item empregado doméstico também teve alta expressiva no Rio de Janeiro, de 1,83%. Além disto, o aumento nos preços dos alimentos consumidos fora de casa superou a média nacional, atingindo 2,28%. As regiões metropolitanas de Recife (0,42%) e Belo Horizonte (0,44%) apresentaram os índices mais baixos do mês, destacando-se os alimentos, que ficaram em 0,72% e 0,63%, respectivamente.