Brasil exporta menos denim

Pela primeira vez no ano, o volume de vendas caiu em julho, embora o segmento continue a operar com superávit.

Em julho, a exportação de denim caiu pela primeira vez no ano, tanto em valor quanto em quantidade embarcada. Em junho, o país vendeu ao exterior US$ 4,92 bilhões, que corresponderam a 867,15 toneladas. No mês seguinte, exportou US$ 4,44 bilhões, referentes a 797,30 toneladas vendidas, volume que representou queda de quase 10% (-9,73%) em valor e de 8% em peso. Em julho, o valor por quilo continuou a cair em relação ao início do ano, baixando 1,82% sobre junho.

A importação despencou em valor, saindo de US$ 3,88 bilhões em janeiro, para US$ 840,61 mil, em julho, referentes a 161,9 toneladas, de modo que o preço por quilo comercializado foi de US$ 5,19. Em junho, o Brasil pagou US$ 1,19 bilhão por 238,46 toneladas, o que equivalia a US$ 4,99 por quilo, demonstrando o impacto da valorização do dólar.

Ainda que as exportações tenham desacelerado, o segmento de tecidos de denim continua a registrar superávit. De um déficit de US$ 1,87 bilhão, em fevereiro, o país assinalou saldo positivo de US$ 3,60 bilhões, em julho, ainda que tenha diminuído 3,45% sobre o resultado de junho, mostram os dados monitorados pelo Mdic (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior).