Polo Juruaia faz mutirão por máscaras

Cadeia de confecção de moda íntima do sul de Minas juntou confecções, poder público, fornecedores, lojas de máquinas e transportadoras.

Com 20 milhões de peças fabricadas por ano, o Polo de Juruaia é um dos maiores do Brasil dedicados à produção de moda íntima. Fica localizado no sul de Minas Gerais. Diante da crise provocada pela propagação de casos de covid-19 no país, a região se juntou para produzir máscaras de proteção. Os itens serão doados a hospitais do entorno. Inicialmente, produzirá 10 mil máscaras até o final de abril.

Entretanto, o polo se está mobilizando para obter insumos de modo a alcançar a meta de 1 milhão de máscaras. Por meio das secretarias de indústria e comércio e da saúde, a prefeitura comprou TNT cirúrgico que foi fornecido a diversas oficinas, muitas delas formadas por profissionais autônomos, que estão trabalhando voluntariamente. Insumos como linha e elástico foram doados por fornecedores que atuam no polo. E para compras complementares as confecções têm procurado fazer em lojas da região, movimentando a economia local.

Lojas de venda e manutenção de máquinas de costura se prontificaram a consertar equipamentos durante a produção das máscaras, sem cobrar pelo serviço. Também transportadoras que atendem o polo vão levar a matéria-prima até as fábricas e entregar as peças prontas gratuitamente.

Para expandir a produção de máscaras e incluir outros materiais, como aventais, o polo através a Aciju (Associação Comercial e Industrial de Juruaia) pede a doação de TNT comum e cirúrgico; e insumos, como elástico e fio linho. Segundo a entidade, se mais transportadoras aderirem ao movimento será possível ampliar as áreas de entregas.

Antes da crise, em janeiro, a Aciju estimou que o faturamento do polo poderia alcançar R$ 200 milhões em 2020. Atualmente, o polo conta com cerca de 200 empresas formais em operação.

GALERIA DE FOTOS

previous arrow
next arrow
ArrowArrow
Slider